Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

OFERTAS DO NANDO

Até 25%

Odisséia III - Ítaca

Odisséia III - Ítaca

Homero

Odisséia III - Ítaca
Imagem do Livro

Homero

Odisséia III - Ítaca

De R$ 25,90 por:
R$ 21,76
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 21,76 no cartão em até 6x de R$ 3,63 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Produtos Relacionados

Sinopse

A L&PM Editores apresenta aos leitores de língua portuguesa uma novíssima tradução da Odisséia. Donaldo Schüler, um dos maiores helenistas brasileiros, traduziu diretamente do grego esta que pode ser considerada a obra isolada mais importante da literatura ocidental. Em formato pocket, a edição bilíngüe se apresenta em três volumes. Ao lançamento de Telemaquia (cantos I a IV) e Regresso (cantos V a XII), junta-se Ítaca, completando os 24 cantos do poema.

Surgida no século IX a.C., a Odisséia pode ser considerada a obra isolada mais importante da literatura ocidental. Mãe, com a Ilíada, de todas as narrativas, fundadora da arte de contar histórias, inventora do herói errante, na sua riqueza beberam os mais renomados narradores. Trata-se da história de Odisseu (o nome grego de Ulisses) após a sua participação na Guerra de Tróia e as peripécias por que passou ao voltar para casa, em Ítaca. Nesta terceira e última parte da epopéia (cantos XIII a XXIV), Odisseu parte da corte do rei Alcínoo, em Esquéria, e, com o auxílio de Palas Atena, chega a Ítaca. Agora ele terá de derrotar os pretendentes que o crêem morto e que cobiçam Penélope – sua mulher – e seus bens.

Homero, a quem se atribui a Ilíada e a Odisséia, teria nascido perto de Esmirna, no século IX a.C. Ele teria dirigido uma escola de retórica e em seguida viajado por todo o mundo mediterrâneo. Seu falecimento teria ocorrido na ilha de Ios. Atribuiu-se ao poeta os Hinos homéricos, composições épicas dirigidas aos deuses, e a Batracomiomaquia, paródia burlesca da Ilíada e de outras obras perdidas.

A questão homérica, uma das maiores discussões literárias do fim do século XVII, pôs em dúvida a existência de um único poeta para as duas epopéias ou mesmo para cada uma delas, indo até a idéia de “obras anônimas da criatividade popular". Os progressos arqueológicos, históricos e lingüísticos do fim do século XIX permitiram rejeitar a tese de que a Ilíada e a Odisséia fossem fruto apenas da criação popular do gênio grego, e hoje se vê reforçada a idéia de que Homero partiu de elementos da tradição oral, organizando-os, dando-lhes forma final e complexificando as estratégias narrativas.