Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

Religião - Cristianismo

Apologética

Patrística (Vol.20): Contra Celso

Patrística (Vol.20): Contra Celso

Orígenes

Patrística (Vol.20): Contra Celso
Imagem do Livro

Orígenes

Patrística (Vol.20): Contra Celso

Editora: Paulus

 
R$ 92,00
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 92,00 no cartão em até 6x de R$ 15,33 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Produtos Relacionados

Sinopse

Orígenes de Alexandria (185-254), catequista, teólogo e exegeta, é considerado o fundador da ciência bíblica. Marca fundamental de sua obra é a tentativa incessante de compatibilização das culturas cristã e clássica, que se mesclam em sua vida desde o nascimento: com o pai estuda as Escrituras e dele recebe a educação helênica na juventude, dedica-se à catequese e ao ensino da gramática. Profudamente convencido da necessidade de tornar o cristianismo aceitável ao ambiente intelectual de sua época, empreende atividades que vão do estudo da filosofia ao ensino superior, passando pela arqueologia e pela crítica textual. Cria o Didaskaleion, centro de estudos dirigido a inserir o cristianismo no panorama cultural clássico a partir dali difunde sua metodologia exegética, fundada na cuidadosa busca do sentido literal em função do diagnóstico mais preciso dos sentidos alegórico e tipológico do texto. Sua extensa obra literária - talvez a maior da Antiguidade - compreende a Héxapla, monumental obra de crítica textual do Primeiro Testamento, comentários escriturísticos e tratados sistemáticos, além de homilias e lições exegéticas. Na obra apologética Contra Celso (cerca de 248), Orígenes refuta as críticas deste filósofo pagão de cuja origem pouco se sabe, e de cuja obra só se tem notícia pela refutação que recebe. Movem-se ambos na mesma atmosfera eclético-platônica, e é a partir desta herança cultural que se esforçam cada qual para desbaratar ou justificar a herança judaico-cristã. Enquanto Celso explica a proximidade entre ambas por uma falta de originalidade de judeus e cristãos, agravada por sua pretensão no sentido contrário, Orígenes inverte o argumento e faz de Moisés o filósofo primigênio, cuja sabedoria (Logos) se manifesta secundariamente a todos os povos e nações, e em sua plenitude na vida de Jesus e de seus seguidores.