Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

OFERTAS DO NANDO

Até 25%

Como Liderar Pessoas Difíceis: A Arte de Administrar Conflitos

Como Liderar Pessoas Difíceis: A Arte De Administrar Conflitos

João Carlos Almeida

Como Liderar Pessoas Difíceis: A Arte de Administrar Conflitos
Imagem do Livro

João Carlos Almeida

Como Liderar Pessoas Difíceis: A Arte De Administrar Conflitos

Editora: Canção Nova

De R$ 23,90 por:
R$ 18,88
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 18,88 no cartão em até 6x de R$ 3,15 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Produtos Relacionados

Sinopse

Em “Como Liderar Pessoas Difíceis: A Arte de Administrar Conflitos” o autor procura responder àquelas perguntas que nos fazemos todos os dias: como lidar com os invejosos, rancorosos ou orgulhosos? Como lidar com os filhos rebeldes? Como liderar colaboradores inflexíveis? Os grandes líderes da história conseguiram desvendar o mapa do comportamento humano, transformando “pedras em pão”, pessoas-problema em solução! João Carlos Almeida, também conhecido como "Padre Joãozinho", procura nos auxiliar nessas questões do dia a dia, motivando-nos a utilizar os conhecimentos de liderança amorosa diante de situações que parecem não ter saída. Autor do livro As sete virtudes do líder amoroso, sucesso de vendas também publicado pela Canção Nova, Padre Joãozinho apresenta a pintura A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci, como referência para analisar o relacionamento de Jesus com seus doze apóstolos – um grupo de indivíduos difíceis e de temperamentos distintos, mas que se transformou, sob a liderança do Mestre, na equipe de sucesso que fez do cristianismo um dos maiores empreendimentos de todos os tempos. O bom líder tem a visão, costura a coesão e promove a ação. O conflito muitas vezes é inevitável. Este livro o ajudará a refletir sobre como administrar esta “guerra” de todos os dias.