Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

Ciências Sociais

Casa-Grande e Senzala

Gilberto Freyre

Casa-Grande E Senzala

Editora: Global Editora

 
R$ 120,00
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 120,00 no cartão em até 6x de R$ 20,00 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Produtos Relacionados

Sinopse

"O Brasil futuro não vai ser o que os velhos historiadores disseram e os de hoje ainda repetem. Vai ser o que Gilberto Freyre disser. Gilberto Freyre é um dos gênios de palheta mais rica e iluminante que estas terras antárticas ainda produziram." (Monteiro Lobato, 1944)

"Casa-grande & senzala é o maior dos livros brasileiros e o mais brasileiro dos ensaios que escrevemos [...] Creio que poderíamos passar sem qualquer de nossos ensaios e romances, ainda que fosse o melhor que se escrever no Brasil. Mas não poderíamos sem Casa-grande & senzala sem sermos outros. Gilberto Freyre, de certa forma, fundou - ou pelo menos espelhou - o Brasil no plano cultural tal como Cervantes à Espanha, Camões à Lusitânia, Tolstói a Rússia, Sarte à França. É certo que houve em nosso caso como nos outros alguns gestos mais, uns antes - ontem, o Aleijadinho, entre poucos - outros, depois - hoje, Brasília, de Oscar - mas, sem dúvida, entre eles está o de Gilberto. [...] Casa-grande & senzala é uma façanha da cultura brasileira, como aliás foi visto desde os primeiros dias." (Darcy Riberito, 1977)

"O Brasil urbano, industrializado, vivendo uma situação social na qual as massas estão presentes e são reivindicantes de cidadania e ansiosas por melhores condições de vida, vai  continuar lendo Gilberto Freyre. Aprenderá com ele algo do que fomos ou do que ainda somos em parte. [...]
De alguma forma Gilberto Freyre nos faz fazer as pazes com o que somos. Valorizou o negro. Chamou atenção para a região. Reinterpretou a raça pela cultura e até pelo meio físico. Mostrou, com mais força que todos, que a mestiçagem, o hibridismo, e mesmo (mistificação à parte) a plasticidade cultural da convivência entre contrários, não são apenas uma característica, mas uma vantagem do Brasil." (Fernando Henrique Cardoso, 2003)