Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

Religião - Cristianismo

Documentos - Cartas e Mensagens

Carta Encíclica (186): Exortação Apostólica Pós-Sinodal Pastores Gregis do Sumo Pontífice João Paulo II Sobre o Bispo, Servidor do Evangelho de Jesus Cristo Para a Esperança do Mundo

Carta Encíclica (186): Exortação Apostólica Pós-Sinodal Pastores Gregis Do Sumo Pontífice João Paulo II Sobre O Bispo, Servidor Do Evangelho De Jesus Cristo Para A Esperança Do Mundo

S. João Paulo II

Carta Encíclica (186): Exortação Apostólica Pós-Sinodal Pastores Gregis do Sumo Pontífice João Paulo II Sobre o Bispo, Servidor do Evangelho de Jesus Cristo Para a Esperança do Mundo
Imagem do Livro

S. João Paulo II

Carta Encíclica (186): Exortação Apostólica Pós-Sinodal Pastores Gregis Do Sumo Pontífice João Paulo II Sobre O Bispo, Servidor Do Evangelho De Jesus Cristo Para A Esperança Do Mundo

Editora: Paulinas

 
R$ 17,80
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 17,80 no cartão em até 6x de R$ 2,97 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Sinopse

Pela norma sinodal, os bispos fazem suas propostas ao Papa, que as retoma em uma Exortação Apostólica. Dessa vez, o Sínodo versou sobre o próprio episcopado e a Exortação Apostólica exprime sua orientação de fundo, quando se faz "sobre o bispo, servidor do evangelho de Jesus Cristo para a esperança do mundo".

Os sete capítulos em que se desenvolvem seus 74 parágrafos nos reservam, senão algumas novidades, pelo menos certas ênfases que nem sempre estão presentes na forma como os próprios bispos, os cristãos e, sobretudo, os que vivem à margem ou fora da Igreja Católica encaram a pessoa e a ação dos bispos.

Começa por situar o ministério do bispo não propriamente no poder, mas no mistério da Igreja, conferindo importância particular à vida espiritual do bispo, comprometido com a perfeição do amor, tal como sempre o entendeu a tradição cristã. Passa em seguida aos três aspectos de seu ministério, enumerando-os em uma ordem de importância: o ministério da Palavra, a função sacerdotal propriamente dita e a responsabilidade pastoral, decorrente de seu sacerdócio supremo. Somente, então, se procura situar o bispo no conjunto da Igreja hierárquica, sublinhando a inserção de seu ministério pastoral na "comunhão das Igrejas", como se diz no capítulo VI.