Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar

Home

OFERTAS DO NANDO

Até 25%

Antologia da Poesia Clássica Chinesa

Ricardo Primo Portugal, Tan Xiao

Antologia Da Poesia Clássica Chinesa

Editora: Unesp

De R$ 72,00 por:
R$ 57,60
Quantidade
Disponibilidade: Em Estoque
Comprar
R$ 57,60 no cartão em até 6x de R$ 9,60 s/ juros

CARTÃO

Dividimos em até 6x

FRETE

Confira nossa política de frete

Produtos Relacionados

Sinopse

Esta coletânea bilíngüe, em chinês e português, é, possivelmente, a mais abrangente já publicada na língua portuguesa de poesia da Dinastia Tang (618-907), a “idade de ouro” da literatura chinesa clássica. Reúne mais de 200 poemas de mais de 30 autores, incluindo algumas mulheres. Os três principais nomes da poesia daquele período – Li Bai, Du Fu, Wang Wei – estão representados na obra, que também contempla traduções de escritores como Bai Juyi, Meng Haoran, Li Shangyin, Du Mu, Liu Yuxi, Cen Shen, Wen Tingyun e Li He. Entre as autoras, estão presentes aqui trabalhos assinados por Li Ye, Xue Tao, Yu Xuanji.

O livro é uma contribuição relevante para o desenvolvimento dos estudos de literatura chinesa em países de língua portuguesa. Com uma introdução histórica e de teoria literária, notas explicativas e resenhas sobre os autores, baseia-se, principalmente, nas antologias mais consagradas – 300 Poemas da Dinastia Tang (século XVII), ePoemas de 1000 mestres (século XIII). Além disso, considera os principais textos de referência da tradição da tradução em português, inglês, francês e espanhol. A introdução e as notas abordam ainda questões da teoria da tradução, apresentam aspectos estruturais da poesia clássica chinesa, expõem os conceitos de paralelismo, tradução-recriação, tradução estrangeirizante, com base em aportes teóricos de Walter Benjamin, Roman Jakobson, Haroldo de Campos, François Cheng, Ezra Pound, Octavio Paz.

No princípio da Dinastia Tang, as pesquisas formais e estudos lingüísticos haviam alcançado alto grau de refinamento na China. Em consequência do desenvolvimento próprio da ambiência literária ou de necessidades criadas  pelos exames imperiais, que demandavam a sistematização de conteúdos, chegou-se, à época, a uma codificação e definição precisas das formas em uso, as quais constituiriam os modelos clássicos, que predominaram até o advento do Modernismo, nas primeiras décadas do século 20.